Folha do Norte MS
Rio Verde MS - Domingo, 24 de Setembro de 2017
Folha do Norte MS no Whatsapp
NOTICIAS » BRASIL

10/09/2017 «¢s 13h29min - Atualizada em 10/09/2017 «¢s 13h29min

Odebrecht entrega chave de acesso a notebook de Marcelo

Odebrecht entrega chave de acesso a notebook de Marcelo

A Odebrecht entregou nesta semana as chaves de acesso para permitir à Polícia Federal (PF) o acesso ao notebook do herdeiro e ex-presidente da empresa, Marcelo Odebrecht. Preso desde junho de 2015, o executivo alegava que a senha era gerada por dispositivo eletrônico – token – que ele não sabia onde estava.


A PF chegou a se queixar com o Ministério Público. Para os delegados era inadmissível que o executivo tivesse conseguido celebrar o acordo de delação premiada sem liberar o acesso do seu computador pessoal.


Os investigadores conseguiram obter uma série de informações relevantes para a Operação Lava Jato quando apreenderam o celular de Marcelo. A expectativa é de que os dados do seu notebook, no mínimo, reforcem o que foi dito pelo empreiteiro ou revelem informações a mais. O laptop é considerado uma importante fonte de informação, pois contém e-mails e planilhas do empresário.


Delegados pressionaram a empresa com ameaça de que poderiam indicar ao MPF a necessidade da revisão do acordo de delação caso o acesso ao equipamento não fosse liberado.


Para mostrar que está empenhada em colaborar com as investigações e manter o acordo de delação e leniência acertados, a Odebrecht decidiu enviar técnicos de informática para Curitiba, para fornecer o programa e as chaves de acesso que possibilitaram que a Polícia Federal acessasse o computador.


Impasse. Em agosto desse ano, a empresa foi cobrada pelas senhas. O Ministério Público Federal (MPF) pediu que Marcelo fosse intimado para entregar as senhas. Ao ser chamado, o executivo disse à PF que o token gerador dos códigos havia sido entregue a advogados da empresa, mas não foi achado. Marcelo alegava que chegou a pedir a seus advogados que encontrassem o token na época da negociação da delação, mas não conseguiu o equipamento.


A delegada Renata da Silva Rodrigues, em despacho de 7 de agosto, apontou que, se forem verdadeiras as informações prestadas por Marcelo, há “ausência de interesse de agir de forma cooperativa” por parte da empresa e, “em tom mais grave, sugere a atuação de personagens com objetivo de obstruir as investigações”.


Expondo mais uma divergência com o Ministério Público, a delegada considerou “preocupante” que as senhas não tenham sido exigidas como condição para fechar os acordos de delação do empresário e de leniência da Odebrebrecht.


Em nota, a Odebrecht informou que “continua colaborando com a Justiça no Brasil e nos países em que atua. Está empenhada em ajudar a esclarecer qualquer dúvida sobre os relatos apresentados por seus executivos e ex-executivos”. “O acordo de colaboração da Odebrecht já se provou eficaz, inclusive com desdobramento em novas investigações e processos judiciais no Brasil e no exterior.”




CLIQUE NAS IMAGENS PARA AMPLIAR:

AUTOR/FONTE: Com Estadão Conteúdo

Luiz Carlos Atagiba

([email protected]­m.br)

Veja também »

21/09/2017

O que explica o crescimento de Bolsonaro nas pesquisas eleitorais

O que explica o crescimento de Bolsonaro nas pesquisas eleitorais

20/09/2017

Arrecadação sobe 10,78% em agosto, a R$104,206 bi, diz Receita

Arrecadação sobe 10,78% em agosto, a R$104,206 bi, diz Receita

20/09/2017

Arrecadação sobe 10,78% em agosto, a R$104,206 bi, diz Receita

Arrecadação sobe 10,78% em agosto, a R$104,206 bi, diz Receita

19/09/2017

Bater em filha com fio é ‘correção’, decide juiz da Grande SP

Bater em filha com fio é ‘correção’, decide juiz da Grande SP

19/09/2017

Bater em filha com fio é ‘correção’, decide juiz da Grande SP

Bater em filha com fio é ‘correção’, decide juiz da Grande SP

18/09/2017

Presidente do BNDES quer anular eleição

Presidente do BNDES quer anular eleição

© Copyright 2017 - Todos os direitos reservados

Site desenvolvido pela Lenium